O DESAFIO DAS NOVAS LIDERANÇAS

Autor: Milton Leme – Dez / 2017

Estamos diante de cenários de importante reflexão sobre atribuições e papéis nas relações humanas, muito especialmente na relação liderança empresarial. O mundo assiste à transição da força de trabalho entre a geração X e geração Y. Em 2015 a geração Y passou a ser nos Estados Unidos o grupo dominante na força de trabalho. Essa geração também chamada de Millennials abrange os nascidos de 1981 a 1997, ou seja, idade em 2017 entre 20 e 36 anos. A geração X que antecede a Y, registra pessoas nascidas de 1965 a 1980, idade em 2017 entre 37 e 52 anos*. Essas gerações assistiram juntas, nos últimos 30 anos, desafios importantes na estrutura familiar, estrutura educacional e evidentemente na estrutura profissional, com direta relação na vivência do enorme desenvolvimento tecnológico que o mundo recebeu nesse mesmo período.

Recentemente a CEB Global, empresa do grupo Gartner, publicou uma pesquisa que sobre “As 12 forças do líder”. Esse estudo faz uma análise em 12 competências de liderança e compara as diferenças de tendências de desempenho entre as gerações X e Y.

Indicadores de desempenho = Alto 3, Médio 2, Baixo 1

 

Competências Millennials (Geração Y)
Entre 20 e 36 anos
Geração X Entre 37 e 52 anos
1) Inovar e conceituar (Pensar diferente) 3 1
2) Interagir e influenciar (Comunicar-se e persuadir) 3 2
3) Liderar e decidir (Iniciar uma ação e direcioná-la) 2 3
4) Empreender e entregar (Focar os resultados) 3 2
5) Analisar e interpretar (Avaliar dados complexos) 3 2
6) Adaptar e lidar (Tolerar as mudanças e a pressão) 1 2
7) Apoiar e cooperar (Trabalhar bem em grupo) 1 2
8) Organizar e executar (Planejar e entregar) 1 3
9) Construir uma rede (Estabelecer conexões) 3 1
10) Energizar a rede (Manter o tipo certo de tensão) 2 1
11) Criar interdependência (Estimular a colaboração) 1 2
12) Ativar a rede (Assegurar que a rede funcione) 3 2

 

*fonte: PEW Research Center

A pesquisa é muito rica, certamente há muito a analisar, no entanto, percebe-se a tendência de um menor desempenho da geração Y nas competências que tem impacto com o “fazer o outro fazer” e um maior desempenho nos aspectos individuais voltados a high performance.

Em contrapartida a geração X atualmente na faixa etária de 37 a 52 vem cheia de energia vital e profissional e ainda com elevado índice de produtividade, podendo ainda contribuir em muito para o desempenho das organizações mundiais. Que fantástico desafio para os gestores de recursos humanos nos próximos 10 a 15 anos promoverem no encontro das gerações uma grande sinergia, considerando um mix assertivo de ações de mentoring e coaching com o melhor das gerações!

Que vença o desempenho e a excelência da prática da liderança!